"Se exponho a você minha nudez como pessoa, não me faça sentir vergonha!"

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

E se nos faltasse a visão?

Somos a geração do visual, do material e do instantâneo. O olhar, as relações e até a comida... É tudo tão alucinado que saborear, sentir e perceber não cabe na rotina de quem tem “mais o que fazer”. As horas passam depressa e o cineasta alemão Win Wenders diz, sabiamente, que temos excesso de tudo, menos de tempo.
Mas, “se o pior cego é aquele que não quer ver”, por que insistir nessa loucura? Para o autor do celebrado Ensaio sobre a cegueira, livro que virou filme, ter tudo em excesso é nada ter. José Saramago garante que nunca estivemos tão perto da alegoria da caverna de Platão. Somos bombardeados, o tempo todo, por imagens de todo tipo. Sombras que cremos reais.
E se nos faltasse a visão? Saramago diz que já estamos todos cegos da razão porque aquele que vê só com os olhos se afasta de si mesmo e do mundo. O músico Hermeto Pascoal concorda. Ele conta que pediu a Deus para ficar um tempo cego “porque olhando é tanta coisa ruim que a gente vê, que atrapalha a visão certa”.
Hermeto Pascoal, José Saramago e Win Wenders têm muito em comum. Além da arte e do fato de “sofrerem das vistas”, os três fazem revelações impressionantes sobre o “olhar” no documentário Janela da alma. Dirigido e co-dirigido por João Jardim e Walter Carvalho, o filme trata do ver ou não ver a partir de depoimentos de pessoas, famosas ou não, míopes ou totalmente cegas.
Mas se engana quem acha que o longa trata a visão apenas como um sentido. Janela da alma conduz o espectador por um caminho de luz entre as trevas e deixa claro que a maior deficiência não é a física, daquilo que não se pode ver, e sim a existencial, daquilo que não se pode sentir por meio do olhar.
De uma simplicidade perturbadora o filme permite ainda um comentário do escritor cego Leo Lama, que não figura entre os personagens. Para ele, “os mais cegos são os que não se enxergam sendo enxergados e, portanto, não se mostram por não se acharem sendo vistos. E isto é o que vemos: nós em tudo. Refletir é se espelhar em si”.

2 comentários:

Patricia disse...

Vc já viu "Ensaio sobre a cegueira", do Fernando Meirelles? É sobre o mesmo tema e baseado na obra do Saramago. O filme ficou muito bom e mostra o qaunto, nós, dito civilizados estamos a um passo da selvageria... Beijos!!

Mônica disse...

Oi, amiga! Reativei minha página e vou colocar um link seu por lá para facilitar as visitas. Já que a psicanálise foi "temporariamente suspensa por motivos de força maior" , estou precisando de uma " terapia alternativa" ,ehehe! Beijos